Com uma delegação composta por representantes da Marinha do Brasil, do Ministério das Relações Exteriores, da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), do Conselho Nacional de Praticagem (CONAPRA) e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Aquaviários e Aéreos, na Pesca e nos Portos (CONTTMAF), o Brasil foi reeleito, na categoria B, para o biênio 2020/2021, como membro do Conselho da Organização Marítima Internacional (IMO) na 31ª Sessão da Assembleia, realizada em Londres, no período de 25 a 29 de novembro.

A assembleia é o órgão máximo da IMO, composto atualmente por 174 Estados-Membros, que se reúne uma vez a cada dois anos e é responsável por aprovar o programa de trabalho e o orçamento; determinar acordos financeiros; e eleger o Conselho da Organização, o qual é composto atualmente por 40 membros, distribuídos em três categorias: A (10 membros), B (10 membros) e C (20 membros). O Brasil é membro ininterrupto desde 1967 e, desde 1975, ocupa assento nesta categoria, que é destinada aos Estados com interesse no comércio marítimo mundial.

A importância e a credibilidade do País no cenário marítimo internacional foram mais uma vez reconhecidas, o que garante a condição de contribuir de forma atuante e participativa, para as decisões voltadas para promover um transporte marítimo seguro, ambientalmente sustentável, eficiente e em um ambiente de cooperação entre os Estados.

FONTE: DEFESANET